Ritinha Prates pede ajuda da prefeitura para ampliar serviços e construir novo equipamento

Diretores da Associação de Amparo ao Excepcional Ritinha Prates reuniram-se hoje com o prefeito de Araçatuba (SP), Dilador Borges, e fizeram solicitações relativas a demandas da entidade para ampliar serviços e construir um novo equipamento. Uma delas diz respeito à articulação, junto ao governo do Estado, para o credenciamento de novos 20 leitos de uma Unidade de Cuidados Prolongados (UCP). A ala já existe na entidade, totalmente adequada e com equipamentos, e a solicitação de credenciamento aguarda análise da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), instância colegiada de decisão do SUS (Sistema Único de Saúde) estadual, integrada paritariamente pela Secretaria Estadual de Saúde e por representantes dos Secretários Municipais de Saúde do Estado.

A UCP é destinada a pacientes em situação clínica estável, que necessitam de reabilitação ou adaptação a sequelas decorrentes de processo clínico, cirúrgico ou traumatológico. É uma estratégia de cuidado intermediária entre os cuidados hospitalares de caráter agudo ou crônico e a atenção básica, inclusive a atenção domiciliar, prévia ao retorno do usuário ao domicílio. Na prática, além de proporcionar ações focadas e intensificadas em reabilitação, a UCP contribui na liberação de leitos (os de UTIs, por exemplo) de hospitais gerais, como a Santa Casa de Araçatuba.

Outra solicitação, que também necessita de ajuda política para agilizar o prcesso junto à CBI é o credenciamento da oficina ortopédica da associação. Atualmente, existe um pequeno equipamento instalado nas dependências do Centro Especializado em Reabilitação (CER), que fabrica e dispensa mensalmente, com recursos próprios da Ritinha Prates, pouco mais de 20 próteses e órteses. A entidade pretende construir um prédio em área de 5 mil m2 cedida pela prefeitura no jardim Carazza, com capacidade para a confecção mensal de quase 100 próteses e órteses. A construção e a compra dos equipamentos estão orçados em cerca de R$ 1 milhão.

Parte desse dinheiro pode vir da venda de um terreno que a associação possui no jardim Jussara, mas que não está totalmente regularizado junto à administração municipal. “Sabemos que são muitos os nossos pedidos, mas todos por uma boa causa. Serão vários os benefícios para a população de toda a região, pois atendemos todos os municípios da área de abrangência do Departamento Regional de Saúde, a DRS 2. Estamos nos articulando de todas as formas, para concretizar essas ações. Assim como viemos nos reunir com o prefeito Dilador, também conversamos com a deputada Carla Zambelli, que esteve dias atrás em Araçatuba, e viajamos a São Paulo e Brasília sempre que necessário”, explicou a presidente da instituição, Maria Aparecida Nascimento Xavier (Cida). 

“Sabemos da importância da Ritinha Prates e vamos nos empenhar para atender essas solicitações. Todas são legítimas e vão melhorar a vida das pessoas que precisam dos atendimentos especializados da entidade. Por isso, fiz questão que os secretários municipais também participassem da reunião. Faremos tudo o que estiver ao alcance da prefeitura”, comentou Dilador.

Também participaram da reunião a vice-prefeita Edna Flor, os secretários municipais de Governo, Manoel Afonso, de Assuntos Jurídicos, Fábio Leite, de Planejamento, Tadeu Consoni, a procuradora-geral, Renata dos Santos Melo, o vereador Dr. Jaime, o conselheiro da associação, José Américo do Nascimento, o assessor jurídico Oscar Farias Ramos, a administradora hospitalar Daniele Grizoli, e o coordenador de Reabilitação Física do Centro Especializado em Reabilitação (CER) Marcos Adriano Mantovan.

A Entidade

Sem fins lucrativos, a Associação de Amparo do Excepcional Ritinha Prates (AAERP) existe há 42 anos trabalha na área da saúde e inclusão social, por meio do Hospital Neurológico Ritinha Prates (HNRP), com a prestação de serviços especializados a pessoas com deficiências neurológicas profundas e irreversíveis. Atualmente, atende 60 usuários internos. A entidade também é a mantenedora do Centro Especializado em Reabilitação III – Ritinha Prates (CER III Ritinha Prates), que presta cerca de 500 atendimentos por mês.

Entre os valores da associação, que atende exclusivamente por meio do SUS (Sistema Único de Saúde), usuários de 42 municípios vinculados à DRS-2 (Direção Regional de Saúde), está o tratamento humanizado, além do respeito a conceitos éticos, morais, ambientais e filantrópicos.