COLABORADORES E USUÁRIOS DO RITINHA PRATES CULTIVAM JARDIM EM FLOREIRAS DE PNEUS USADOS

 

 

 

Quem passa pelo estacionamento interno da Associação de Amparo ao Excepcional Ritinha Prates, em Araçatuba (SP), percebe que quatro floreiras quebram a monotonia da terra e do bege das paredes do local. Feitas de pneus usados, coloridas, tanto na pintura quanto nas flores cultivadas, elas enchem os olhos de usuários, colaboradores, fornecedores e visitantes.

As floreiras começaram a ser produzidas há cerca de seis meses, e fazem parte do projeto Nosso Pequeno Jardim, idealizado pela psicóloga Rafaela Bocchio, pela terapeuta ocupacional Simone Silva Schiavon, e o faxineiro Benedito Cassiano. Os três partiram da ideia de reciclar pneus velhos e assim dar um ar mais alegre ao ambiente hospitalar, sendo o projeto, ao mesmo tempo, sustentável e terapêutico.

Rafaela conseguiu a doação dos pneus, por uma empresa da cidade; Benedito doou as plantas e flores; Simone, juntamente com Rafaela, operacionalizou a pintura dos pneus e o plantio com a participação dos usuários do Hospital.

“Começamos a plantar as flores com o objetivo de alegrar o espaço e proporcionar um ambiente diferenciado para usuários e colaboradores. Deu certo, o projeto é, de fato, uma terapia. Diariamente, usuários regam as plantas e ficam felizes com essa tarefa. Essa é uma das formas que encontramos de tirá-los da rotina, sem contar que se trata de uma maneira de trabalhar a coordenação motora e desenvolver sentimentos e comportamentos”, afirma Rafaela.

A terapeuta ocupacional Simone Silva Schiavon conta que o objetivo do trio com a criação do pequeno jardim possibilitar a humanização da área externa do ambiente hospitalar. “Queríamos um espaço onde os usuários pudessem contribuir na confecção das floreiras usando a criatividade, desenvolvendo a coordenação viso-motora, a persistência sensorial, autoestima e entendessem a importância das plantas e da responsabilidade que eles têm de ter que aguar as floreiras diariamente”.

Apaixonado por plantas, Benedito Cassiano comenta que trouxe mudas de azaleias, crista de galo, papoula, petúnia, cravo e beijinho. “As floreiras trouxeram mais cor para o hospital e encantam todos os visitantes. Todo mundo que passa pelo estacionamento para um minuto e admira as nossas flores, elogiando o nosso projeto”, finaliza. 

A Entidade 

Sem fins lucrativos, a Associação de Amparo do Excepcional Ritinha Prates existe há 40 anos. Atua na área da saúde e inclusão social, por meio do Hospital Neurológico Ritinha Prates (HNRP), com a prestação de serviços especializados a pessoas com deficiências neurológicas, auditiva, física e visual. O HNRP atende atualmente 60 usuários em regime de internação hospitalar (cuidados de longa permanência). A entidade também é a mantenedora do Centro Especializado em Reabilitação III – Ritinha Prates (CER III Ritinha Prates) e de uma oficina ortopédica, onde são produzidas próteses e órteses. Entre os seus valores está o tratamento humanizado, além do respeito a conceitos éticos, morais, ambientais e filantrópicos.

Jardinagem traz benefícios para a saúde física e mental

Especialistas afirmam que a prática da jardinagem contribui para o bem-estar de qualquer pessoa. O trato com a terra, com as plantas e com as flores provoca uma sensação de tranquilidade e de paz. Por isso, essa técnica tem sido utilizada como terapia ocupacional prescrita para diversas situações.

Por ser uma atividade ao ar livre, a jardinagem também alimenta o sentimento de admiração e apreciação pela beleza que a natureza nos oferece. Além disso, ajuda a estimular os sentidos, já que as plantas nos encantam com diferentes aromas e cores.

De fato, a jardinagem proporciona uma série de benefícios, como a diminuição do nível de estresse, melhoria do aprendizado, habilidades de linguagem, atenção e memória. A técnica acaba tornando os praticantes pessoas mais saudáveis, tranquilas e felizes.