Ritinha Prates treina brigadistas e socorristas da instituição

Atividade contou com o apoio do Corpo de Bombeiros de Araçatuba

As equipes de Brigada de Incêndio e de Socorristas do Hospital Neurológio Ritinha Prates, de Araçatuba (SP), participaram no último dia 20 de um treinamento que mesclou teoria e prática. As atividades foram coordenadas pela técnica em Segurança do Trabalho, Patrízia Torres. No total, 19 colaboradores receberam capacitação para agir da maneira correta em situações de emergência, como um incêndio. A atividade contou com a participação do cabo do Corpo de Bombeiros, Marcos Sérgio, e do soldado Tiago Rodrigues, que explicaram o método Start, foco do treinamento realizado pela instituição. A atividade teve destaque na edição impressa do jornal O Liberal Regional e também nos sites de notícias LR1, Atanews e Regional Press.

A existência da brigada de incêndio atende a Instrução Técnica de número 17, de 2014, que dá as diretrizes para a formação, condução e procedimentos necessários para os membros da brigada. “O treinamento serviu para capacitar novos integrantes e reciclar outros em diversas áreas como manuseio de extintores, tipos de extintores, classes de incêndio, manuseio e utilização de mangueiras de incêndio, conhecimentos técnicos mínimos para atuar se necessário entre outros”, explicou Patrízia.

Treinamento

Os colaboradores foram divididos em dois grupos. Enquanto um grupo recebia orientação teórica de salvamento dos bombeiros, o segundo participava de uma atividade de resgate. A sala de treinamento da instituição foi transformada e um ambiente “caótico”, com muita fumaça (para simular um incêndio), gritos e móveis e objetos espalhados por todo o local.

A ideia, conforme Patrízia, foi passar aos colaboradores da instituição uma situação real de salvamento. O objetivo da atividade era resgatar três vítimas, entre elas um bebê, que estavam feridas entre os escombros. Ao término de cada salvamento, brigadistas e socorristas eram avaliados em relação a acertos e erros. “O hospital atende a pacientes que dependem, e muito, de todos os colaboradores no caso de um incêndio, por exemplo”, completou Patrízia. No próximo dia 23, a mesma ação será aplicada a um novo grupo de colaboradores do Ritinha Prates.

A entidade

Sem fins lucrativos, a Associação de Amparo do Excepcional Ritinha Prates trabalha na área da saúde e inclusão social, por meio do Hospital Neurológico Ritinha Prates, que atende atualmente 60 pacientes internos com deficiências neurológicas severas e irreversíveis. A entidade também é a mantenedora do Centro Especializado em Reabilitação 3 – Ritinha Prates (CER 3 RitinhaPrates), que presta serviços nas áreas física, visual e auditiva, e de uma oficina ortopédica, onde são produzidas próteses e órteses. Entre os valores da associação está o tratamento humanizado, além do respeito a conceitos éticos, morais, ambientais e filantrópicos.