Ritinha Prates recebe recursos para o CER e fará campanha para adequar instalações

Depois de nove anos de espera, a Associação de Amparo ao Excepcional Ritinha Prates, de Araçatuba (SP), recebeu recursos de um convênio com o Ministério da Saúde (MS) para a compra de uma série de equipamentos, móveis e materiais, que vão de televisores, computadores, aparelhos de ar condicionado e lousas interativas, a desfibriladores, macas, estetoscópios, aparelhos de ultrassom e consultórios completos. Os recursos somam R$ 1.175.324,00 foram liberados em parcela única, depositados em uma conta bancária aberta especificamente para esta finalidade, e devem ser utilizados no período de um ano.

A presidente da entidade, Vanilda Maria Barboza (Vanda), explica que a verba deve ser usada exclusivamente para compras de itens destinados ao CER III (Centro Especializado em Reabilitação), o que acaba gerando outra demanda. “Estamos extremamente felizes com o repasse, pois batalhamos durante quase uma década para melhorar o CER. Agora, entramos em uma nova fase, pois para instalar os novos equipamentos é necessário reformar alguns ambientes e construir outros, e esse dinheiro que veio não pode ser usado para isso”, comenta Vanda.

Alguns equipamentos já foram comprados e entregues no CER. De acordo com o coordenador técnico de Reabilitação Física da organização, Marcos Adriano Mantovan, os custos das obras estão sendo calculados para que a associação comece uma campanha de arrecadação junto à comunidade regional. “Precisamos construir três salas, por exemplo, além de uma série de ajustes na infraestrutura do Centro. E como sempre fazemos nestes casos, contamos com ações solidárias da sociedade na doação de recursos e de materiais que nos permitam atingir esse objetivo”, diz Mantovan.

“Nunca perdemos a esperança de que seríamos contemplados, e todo ano voltávamos à carga no Ministério, insistindo na necessidade de atualizarmos os nossos equipamentos. Agora, poderemos oferecer equipamentos e materiais mais modernos, o que favorece o conforto e o tratamento dos nossos usuários. Esse convênio visa o fortalecimento do SUS, sendo que todo o recurso será aplicado em favor do atendimento das pessoas com deficiência, as PCDs. E tudo será feito com a máxima transparência, pois o convênio é feito por meio do Fundo Nacional de Saúde, que é o gestor financeiro dos recursos destinados ao Sistema Único de Saúde”, conclui Vanda.