'Visita virtual’ entre usuários e familiares é destaque na TV Tem (Rede Globo)

Desde o início da pandemia da Covid-19, a Associação de Amparo ao Excepcional Ritinha Prates, de Araçatuba (SP), tem tomado uma série de medidas restritivas, sendo uma das primeiras a suspensão das visitas aos usuários. Mas para amenizar os reflexos do distanciamento motivado pelo isolamento social, os setores de Psicologia e Serviço Social da entidade criaram o projeto ‘Visita Virtual’.

A estratégia tem como proposta dar tranquilidade aos usuários e aos seus familiares por meio da tecnologia. A ‘Visita Virtual’ é realizada com o uso de um smartphone e um aplicativo que permite a visualização dos participantes e a consequente interação entre eles. A iniciativa tem sido uma solução para este período de quarentena, com o objetivo de manter o vínculo afetivo do usuário com os seus familiares, assim como amenizar a dor da saudade decorrente da impossibilidade da visita física.

A assistente social da associação, Ivanesse Cristina Fernandes, explica que os dois setores desenvolveram um cronograma de atuação contemplando todos os usuários. “Nós entramos em contato antecipadamente com os familiares e explicamos como a ação funciona. Se a família aceita, nós já deixamos agendados a data e o horário para ‘visita’. Desde que o trabalho foi iniciado, temos recebido muitos elogios e agradecimentos por nos preocuparmos com os aspectos emocionais não somente de nossos usuários, mas também de seus familiares, que sentem muito por não poder visitá-los”, conta. Até o momento, 11 usuários participaram da ação.

As ‘visitas’ têm sido realizadas de segunda e quarta-feira, no período da manhã, sendo feitas de 3 a 4 vídeo chamadas nesse período. “O usuário e a família ficam muito felizes em poder se ver e interagir neste momento de distanciamento. Para nós, é de extrema importância proporcionar para a todos eles essa união, mesmo que online”, destaca a psicóloga Rafaela Vieira Bocchio. “Enquanto profissionais, temos sentido muita satisfação e emoção com os resultados alcançados, além de ser muito gratificante participar ativamente de todo esse processo”, conclui.

A autônoma Andrea Barboza Viol Capristi é filha da Edna Silva Barboza, usuária do hospital desde o ano passado. Ela participou da visita virtual e conta que achou linda a iniciativa. “Foi muito bom e emocionante poder rever a minha mãe. Eu sinto muita saudade”, disse. Edna foi diagnosticada com demência frontal, temporal e de origem desconhecida, necessitando de cuidados especiais diariamente. “Com tanta coisa que está acontecendo, temos que proteger quem precisa. A saudade é demais, e poder pelo menos ver a minha mãe foi muito bom. O que eu queria mesmo era poder abraçá-la de novo, e cantar para ela, como sempre fiz, mas sei que tudo tem seu tempo e agora é hora de proteger a ela e a todos. Isto também é uma demonstração de amor”, finaliza Andrea.


Ritinha Prates

O Visita Virtual faz parte do trabalho de humanização da Ritinha Prates, que busca todos os dias manter a qualidade de vida, promover mudanças na rotina e fortalecer os vínculos afetivos dos usuários com seus familiares e amigos.

Sem fins lucrativos, a Associação de Amparo do Excepcional Ritinha Prates existe há 42 anos, e trabalha na área da saúde e inclusão social, por meio do Hospital Neurológico Ritinha Prates, com a prestação de serviços especializados a pessoas com deficiências neurológicas profundas e irreversíveis. Atualmente, atende 60 usuários internos. A entidade também é a mantenedora do Centro Especializado em Reabilitação III – Ritinha Prates (CER III Ritinha Prates), que presta cerca de 500 atendimentos por mês.

Entre os valores da associação, que atende exclusivamente por meio do SUS (Sistema Único de Saúde), usuários de 40 municípios vinculados ao DRS-2 (Departamento Regional de Saúde), está o tratamento humanizado, além do respeito a conceitos éticos, morais, ambientais e filantrópicos.